BLOG DO GUSMÃO

Menu

Siga-nos

É NATAL. E DAÍ?

Por Daniel Thame.

Um menino chamado Jesus passou pelo centro da cidade, entre calçadas, lojas e gente, muita gente.

Olhou vitrines, sonhou com brinquedos que provavelmente nunca terá.

Disputou restos de comida com cachorros em latas de lixo espalhadas pelas esquinas.

Dormiu sob marquises de lojas recém-inauguradas, com o luxo refletindo em seu corpo coberto com pedaços de jornais que anunciam escândalos políticos que não vão dar em nada, violência e mais violência e veleidades nas colunas sociais.

Um menino chamado Jesus pediu esmolas nas sinaleiras, uma camisa velha nas casas de família.

Não pediu, porque já não espera receber, gestos de carinho e atenção.

O menino chamado Jesus se contenta com uma roupa velha, um prato de comida.

Mas, quem é que tem tempo para esse menino chamado Jesus quando o Natal se aproxima?

É tempo de fazer compras, mesmo que comprometendo boa parte do salário no cartão de crédito.

De trocar de carro, escolher a roupa da moda, se programar para as inúmeras festas de reveillon.

De preparar a ceia de Natal, farta, alegre, muitas vezes esbanjadora.

Tempo dos amigos secretos, das festinhas de confraternização, de exibir aquele companheirismo de fachada de apenas um dia, quando a regra é o individualismo de todos os dias do ano.

Não há mesmo tempo para dar atenção a um menino, mesmo que ele se chame Jesus.

Que ele se chamasse João, Paulo, Pedro, José. Pouco importa.

É apenas mais um menino perambulando pelas ruas, sem passado, sem presente.

Provavelmente sem futuro.

É Natal.

Entre tantos compromissos sociais, presentes, projetos que nunca se concretizam para o ano que está chegando, não há tempo nem para um outro Menino, hoje não necessariamente a razão, mas apenas o pretexto para essa festança.

Um menino igualmente chamado Jesus, menos Divino e mais Humano, que viveu e morreu em nome de valores como igualdade, solidariedade, fraternidade, simplicidade.

O Jesus Menino e o menino chamado Jesus estão separados por quase dois milênios.

Ignorar as lições de do Jesus Menino explica a existência do menino chamado Jesus e de tantos e tantos outros meninos e meninas que perambulam pelas ruas.

Meninos e meninas, de todas os nomes, para quem não apenas Papai Noel mas também o Natal é apenas uma abstração em meio à fome e ao abandono.

As luzes de Natal lançam apenas sombras sobre uma realidade que fingimos não ver, cegos que estamos pelo egoísmo.

É Natal.

E daí?

WhatsApp
Facebook
Twitter
Email
Print

2 respostas

  1. Se um por cento da população mundial, tivesse essa visão o mundo seria diferente. adorei o seu cometário jornalista. deve a sexta vez que leio algo seu. e sempre detona.

  2. Me fez chorar! Eu geralmente comemoro o ano novo, pois ele me traz esperança, o natal eu tiro pra refletir, não participo de confraternizações, por isso os colegas de trabalho me torcem o nariz. Gostaria de exercitar mais em minha vida, não só no natal, a oração e a solidariedade. Precisamos ter em Ilhéus um abrigo para moradores de rua e outras iniciativas para amenizar o sofrimento dessas pessoas mulheres e crianças que não são enxergadas por todos nós. E cobrar dos políticos que roubem menos e trabalhem mais. E em nossos grupos e igrejas possamos em 2010 fazer mais caridade, sopão, entrega de donativos, roupas. E a assistencia social distribua o que recebe, não façam estoque pra doar como se fosse dos seus candidatos, em véspera de eleição, que a necessidade não existe apenas em período eleitoral. É isso aí, é natal, e daí? Qual a sua atitude diante de Deus e de seus irmãos?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Newsletter

Fique Informado

Assine a newsletter e receba as notícias que você não pode perder diretamente no seu e-mail.
É rápido. É fácil. É de graça.

Siga-nos
Mais lidas
dezembro 2009
S T Q Q S S D
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031