“SARNEY” O DISSIMULADO

“Todo homem tem três personalidades: a que exibe, a que possui e a que julga possuir.” Alphonse Karr

O vereador quero-quero, Jailson “Sarney” Nascimento, está jogando para a torcida, é um dissimulado, um contador de estórias e lorotas, no ambiente político.

Ao afirmar que é governo e que não tem nenhuma secretaria, demonstra que faz política na base da farsa.

Quem acompanha o cenário político sabe que “Sarney” manda na secretaria de saúde. Segundo um vereador ilheense: “ele nomeia médicos, motoboys, auxiliares de serviços gerais e etc. Marleide jamais terá a coragem de se opor a uma ordem de Jailson e de Paulo Medauar” (mentor intelectual do quero-quero).

Sub-reptício, ele faz “juras de amor” ao prefeito, mas, através do microfone da rádio Bahiana (onde é o maior investidor), manda os seus “jagunços da comunicação” criticarem o governo, detonando os secretários que não rezam a sua cartilha clientelista.

A história do vereador quero-quero está atolada na “lama do poder”. No último dia 01 de janeiro, ele completou 13 anos consecutivos de vereança. Neste longo tempo, esteve na oposição apenas durante 31 meses (duração do governo Valderico).

Agora, finge que está tudo bem, afirma não temer as mudanças iminentes na administração. Na verdade, ele carrega uma certeza: Newton não terá coragem de mexer na secretaria de saúde.

Jailson aposta nisso, Jailson está jogando certo de que vai ganhar.

Coitado! Como disse François Jacob: “nada é tão perigoso quanto a certeza de ter razão.