EMBASA FLAGRA FURTO DE ÁGUA EM CABANA DE PRAIA DE ILHÉUS

Representantes da Embasa e das polícias Civil e Militar discutem medidas contra o furto de água em Ilhéus. Imagem: Ascom-Embasa.

As polícias Militar e Civil se juntaram à Embasa para formar uma força-tarefa de combate ao furto de água em Ilhéus. O trabalho em equipe foi tema de reunião ocorrida nessa quinta-feira (5), no escritório da companhia estatal no município.

Técnicos da concessionária apresentaram as principais irregularidades cometidas e as dificuldades que as equipes de campo enfrentam no dia a dia. “Há logradouros por onde as equipes não conseguem passar, por conta da criminalidade. Além disso, é comum que eles sofram a agressividade de usuários e até sejam vítimas de ameaça. Nesse ambiente de insegurança, fica impossível dar continuidade ao trabalho de identificação e de correção das fraudes”, afirmou Uillas Batista, gerente comercial da Unidade Regional de Itabuna, responsável pela operação da Embasa em Ilhéus e em outros 26 municípios da região.

“Precisamos definir uma agenda que possibilite a presença da polícia nas ações da Embasa, respeitando o fluxo de ocorrências que recebem prioridade, como os crimes contra a vida. Lembramos ainda que é fundamental o apoio do Departamento de Polícia Técnica (DPT) para dar validade jurídica às irregularidades encontradas, o que somente é possível por meio de laudo pericial”, explicou o titular da 7ª Coordenadoria de Polícia do Interior (Coorpin), delegado Evy Paternostro.

Antes mesmo da reunião, no último dia 9 investigadores da Policia Civil acompanharam o trabalho de campo feito pela Embasa. Em uma barraca de praia da orla sul de Ilhéus, técnicos constataram a adulteração do hidrômetro – o manuseio indevido objetiva diminuir ou mesmo anular o registro do consumo de água do imóvel. Com a perícia feita no equipamento, a empresa poderá adotar medidas judiciais e administrativas, como a cobrança de multa estabelecida em R$ 35 mil.

“Não é só o prejuízo financeiro que nos preocupa. O passivo ambiental é incalculável, porque quem consome sem compromisso desperdiça muito mais. Ilhéus passou por racionamento em 2016 e não queremos que o furto de água contribua para que a cidade sofra novamente com o problema”, esclareceu Uillas.

“A Embasa pode contar com o apoio da Polícia Militar para garantir a segurança dos seus técnicos. Acreditamos que uma parceria como essa possa intimidar aqueles que fraudam o consumo de água e se acham impunes”, afirmou o tenente Erinaldo Dantas, que representou a 69ª Companhia Independente da Polícia Militar no encontro.

O grupo de trabalho definiu que o acompanhamento da polícia será requisitado inicialmente junto a grandes consumidores e a usuários que são reincidentes na prática do furto de água. “Nosso trabalho continua, e sabemos que seria impossível a polícia nos acompanhar a todo momento. A população também precisa fazer sua parte, procurando a Embasa para regularizar a situação de seu imóvel e denunciando possíveis irregularidades”, salientou Uillas.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *