Prefeitura de Ilhéus abre processo seletivo para contratação de 148 professores

Foto: Secom/Ilhéus.

A Prefeitura de Ilhéus abriu processo seletivo simplificado para preenchimento de 148 vagas de professores da educação infantil, fundamental 1 e 2, Educação de Jovens e Adultos (EJA) 1 e 2, e formação de cadastro reserva para os mesmos cargos. O edital que autoriza a seleção simplificada foi publicado no Diário Oficial do Município, do dia 25 de janeiro, com base na autorização contida na Lei Municipal nº3.634/12.

O processo seletivo será realizado através de avaliação curricular, de cunho classificatório e eliminatório, a cargo da Seduc, por meio da comissão responsável pela seleção simplificada. Os contratados, que atuarão nas 53 escolas da rede municipal, substituirão os professores cedidos ao Conselho Municipal de Educação (CME) e Associação dos Professores Profissionais de Ilhéus (APPI), os que se encontram em licença médica concedida pelo INSS e em readaptação funcional, e os professores demitidos no cumprimento da sentença judicial que obrigou o Município a afastar servidores que ingressaram no serviço público sem concurso. Os contratos temporários decorrentes deste processo seletivo serão válidos pelo prazo de um ano.

As inscrições são gratuitas e deverão ser realizadas nos dias 30 e 31 de janeiro próximos, mediante a entrega de currículos, acompanhados pela documentação exigida, o que deverá ser feito na Biblioteca Municipal, localizada na Rua Dom Valfredo Tepe, 317, centro, Ilhéus, CEP: 45653-220, no horário das 9 às 12 horas e das 14 às 17 horas.  Para se inscrever, é necessário ter diploma de licenciatura, idade mínima de 18 anos e preencher os requisitos específicos de cada cargo. A Seduc informa que não serão fornecidas, por telefone, informações referentes ao edital do processo seletivo simplificado. O candidato deverá acompanhar cuidadosamente as publicações oficiais da Prefeitura de Ilhéus.

Será feita uma pré-inscrição online através de formulário específico, visando dar celeridade ao processo, até terça-feira, dia 29 de janeiro de 2019, pelos seguintes links: candidatos à educação infantil e/ou ensino fundamental I (Anos Iniciais) – EJA 1, (Anos Finais) ou EJA 2.

No ato da inscrição, o candidato deverá apresentar os seguintes documentos: xerox e original do CPF e RG; em caso de pessoas do sexo masculino, comprovação de quitação com as obrigações militares; xerox da comprovação de quitação com as obrigações eleitorais; xerox do comprovante de residência; currículo vitae, devidamente comprovado, inclusive experiência na docência da educação infantil e/ou ensino fundamental I (Anos Iniciais), EJA 1 ou Ensino Fundamental II (Anos Finais) – EJA 2;  xerox e original diploma ou certificado de licenciatura correspondente; diploma ou certificado de licenciatura em curso de Pedagogia ou Normal Superior para a educação infantil, o ensino fundamental I – EJA1;  licenciatura em área específica da disciplina, para o ensino fundamental II – EJA 2; xerox e original documento comprobatório do tempo de experiência profissional; xerox e original do laudo (CID 10), emitido nos últimos seis meses, em caso de deficiência.

Com informações da Secom/Ilhéus.

Sinebahia Ilhéus oferece 6 oportunidades de trabalho

Sinebahia Ilhéus tem duas vagas para motorista de caminhão munk.

Confira abaixo as vagas de emprego disponíveis nessa terça-feira, 29, na agência do Sinebahia Ilhéus, que fica na sala 13 do SAC, situado na Rua Eustáquio Bastos, 308, Centro.

Não esqueça de levar a carteira de trabalho, RG, CPF, comprovante de residência e de chegar antes das 9. 

AUXILIAR DE LIMPEZA (PCD)

Vaga exclusiva para Pessoas com Deficiência  

Ensino Fundamental Completo

Experiência mínima de 06 meses na Função

Apresentar Laudo

01 VAGA

REPRESENTANTE COMERCIAL

Ensino Médio Completo

Experiência mínima de 6 meses comprovada em Carteira de Trabalho

Possuir Habilitação Categoria AB

01 VAGA

VENDEDOR EXTERNO

Ensino Médio Completo

Experiência mínima de 6 meses comprovada em Carteira de Trabalho

01 VAGA

(mais…)

Skatista de Ilhéus foi assassinado e teve cabeça e mão decepadas

Pedro Punkzila: Foto encontrada no Facebook.

A Polícia Civil investiga o assassinato brutal do skatista Pedro Gheovani Silva Amorin, conhecido como Pedro Punkzila, ocorrido em Ilhéus na última semana.

Segundo a delegada Andréa Oliveira, Punkzila foi visto com vida pela última vez no dia 20 de janeiro, numa casa da zona sul de Ilhéus na companhia de três homens.

Na quarta-feira, 23, o corpo da vítima foi encontrado enterrado nas proximidades do Caic Darcy Ribeiro, com a cabeça e uma das mãos decepadas.

Após ouvir testemunhas, a investigação trabalha com duas hipóteses. Membros da facção Terceiro Comando (do tráfico de drogas) mataram Pedro por achar que ele pertencia ao grupo rival “Raio A”.

Outra possibilidade remete a uma briga ocorrida no passado entre Punkzila e um dos suspeitos. Depois de certo tempo os dois fizeram as pazes, mas o suposto assassino, que estava na casa onde Pedro foi visto pela última vez, não teria desculpado e decidiu se vingar.

A delegada Andréa Oliveira disse ao BG que até o momento não há indícios de que Pedro Punkzila tinha ligações com a facção “Raio A”.

Sinebahia Itabuna oferece 28 vagas nessa terça-feira

Uma vaga para esta função no Sinebahia Itabuna.

Confira abaixo as oportunidades de emprego do Sinebahia Itabuna. As vagas estarão disponíveis nessa terça-feira, 29.

A agência funciona no Shopping Jequitibá. Não esqueça de levar o número do PIS, PASEP ou NIS, Carteira de Trabalho, RG, CPF, comprovante de residência e certificado de escolaridade.

Vagas exclusivas para Itabuna. 

AUXILIAR DE LINHA DE PRODUÇÃO (PCD)

Exclusiva Para Pessoas Com Deficiência

Não necessita escolaridade

Não necessita experiência

5 VAGAS 

VENDEDOR INTERNO

Ensino Médio Completo

Experiência mínima de 6 meses na carteira com vendas

Experiência com vendas de eletro (linha branca)

10 VAGAS 

SERRALHEIRO

Não exige escolaridade

Experiência mínima de 6 meses na carteira

1 VAGA 

(mais…)

Antes de apoiar o PT de Ilhéus, Wagner quer consultar Jabes Ribeiro

Jabes Ribeiro e Jaques Wagner. Foto: Gidelzo Silva.

O site Galera de Ilhéus publicou nesta segunda-feira, 28, uma análise do criterioso repórter Thiago Dias sobre a aliança PT/PP no Estado e os seus desdobramentos em Ilhéus.

Thiago, o melhor repórter que já passou pelo Blog do Gusmão (BG), informa que o ex-governador da Bahia, Jaques Wagner, ao ser perguntado se apoiará um candidato do PT nas próximas eleições a prefeito de Ilhéus, manifestou a intenção de antes consultar o ex-prefeito Jabes Ribeiro (PP).

A informação com certeza vai atingir o orgulho dos petistas locais, aliados no passado e hoje adversários ferrenhos de Jabes.

A análise está neste link.

Amurc reúne prefeitos para tratar da Barragem da Mirabela em Itagibá

Barragem da Mirabela Mineração em Itagibá. Imagem do Google.

O rompimento da barragem de Brumadinho, em Minas Gerais, levantou grande preocupação na imprensa regional sobre a barragem de contenção de resíduos minerais da empresa Mirabela, instalada em Itagibá. Nesse sentido, a diretoria da Associação dos Municípios da Região Cacaueira (Amurc) vai reunir prefeitos da Bacia Hidrográfica do Rio de Contas, nesta segunda-feira, 28, às 16 horas, para uma reunião de emergência na Câmara de Vereadores de Barra do Rocha.

O objetivo, segundo o coordenador executivo da entidade, Luciano Veiga, é socializar as informações sobre o estado da Barragem de Rejeitos da Mirabela, provocar os órgãos de fiscalização e controle (Ministérios de Minas e Energia e o do Meio Ambiente, Secretaria do Meio Ambiente do Estado da Bahia, SEMA/INEMA, Ministério Público do Estado da Bahia e representante da Sociedade Civil Organizada) para criação do Conselho Deliberativo e Consultivo de Gestão e Acompanhamento da Barragem de Rejeitos da Mirabela, visando o acompanhamento permanente deste equipamento.

Ainda segundo Luciano, técnicos do Instituto Estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos – INEMA e da Secretaria de Meio Ambiente da Bahia – SEMA já estão visitando a Barragem de Resíduos da Mirabela, onde estão fazendo uma vistoria técnica para a emissão de um laudo sobre o seu estado.

Prefeitura de Ubaitaba retira baronesas do Rio de Contas

Foto: Ascom/Ubaitaba.

Uma equipe de operários do Departamento de Meio Ambiente da Secretaria de Agricultura, Meio Ambiente, Pesca e Desenvolvimento Econômico, com o suporte da Secretaria de Administração de Ubaitaba, iniciou na manhã desta segunda-feira, 28, a limpeza do Rio de Contas em toda a área urbana. Nesta operação estão sendo retiradas baronesas, aguapés e outros tipos de vegetação que abrigam animais peçonhentos e trazem lixo.

De acordo com o secretário de Administração, Raimundo Fahning, os trabalhos se concentram no trecho do rio que passa pela zona urbana, mas serão estendidos a outros trechos, já que o objetivo é livrar o Rio de Contas das baronesas, que se reproduzem devido à matéria orgânica resultante de esgotos sanitários despejados nas águas do rio.

Outra recomendação da prefeita de Ubaitaba foi para que as baronesas sejam retiradas do leito do rio e transportadas para o depósito de lixo. “De nada adiantaria deixá-las no rio, pois haveria o risco de enganchar nas pedras mais abaixo. O objetivo da operação é manter limpo o curso d’água, como tem sido feito desde o começo da atual administração municipal, com bons resultados”, observa o chefe do Departamento de Meio Ambiente, Elias Nunes.

Pequenos problemas, grandes desprezos

E não é feito por questiunculas – coisinhas menores –, nas quais as propostas firmadas entre prefeito, vice-prefeito e as forças coligadas durante a campanha eleitoral se esfacelam nos primeiros meses de governo. Não falo de suposições, mas de fatos, portanto, reais, com o afastamento do vice-prefeito José Nazal do centro do poder, desprezando todo o conhecimento que tem sobre o município.

 

Por Walmir Rosário.

Na manhã deste domingo (27-01-19) recebi, via WhatsApp, do radialista Paulo Flores Vidal, uma gravação em vídeo mostrando as dificuldades de atracamento no porto turístico (píer) de Paraty, o que considerei um verdadeiro absurdo. As vigas que travam as tábuas do assoalho soltas, buracos no piso e até o vendedor de sucos e salgados se acidentou, perdendo alguns dos seus produtos.

Uma lástima, se considerarmos que Paraty é uma das cidades turísticas de grande fluxo de pessoas, grande parte procedente de São Paulo, principalmente neste fim de semana prolongado pelo Dia da Cidade, sexta-feira 25). É justamente daquele píer que saem as embarcações com turistas para conhecer as ilhas e praias das baias de Paraty e Angra dos Reis, gerando emprego e renda na cidade.

Desde a década de 1970 a cidade de Paraty foi escolhida pelo governo do Estado do Rio de Janeiro para se transformar numa centro eminentemente turístico, sem qualquer tipo de planejamento. Bastava para tanto sediar o maior bloco arquitetônico colonial que, por si só, já venderia pacotes turísticos, em detrimento da população, que ainda residia no centro da cidade.

Grossas e pesadas correntes foram implantadas nas ruas do centro, impedindo o acesso aos veículos, sem dar tempo da implantação de qualquer infraestrutura que resguardasse os habitantes e turistas hospedados no centro histórico. A única voz a se levantar foi a do então presidente da Associação Comercial de Paraty, Benedito José da Cruz (Simão), que condenou, em entrevista no Jornal Nacional, a mudança de cima pra baixo que mudaria a cultura da cidade e prejudicaria seus moradores.

Dito e feito! Os prédios coloniais foram vendidos para os paulistanos e cariocas, e os nativos empurrados para os bairros mais afastados, a exemplo da Mangueira, Ilha das Cobras, Chácara, dentre outros. Hoje, os nativos que vivem da pesca e do turismo são obrigados a fazer das tripas coração para viver e criar os filhos com dignidade, pois não são alvo das prioridades dos constantes governos municipais.

Deveras, o poder enebria, embriaga e os governantes têm olhos abertos para os mais bem-dotados, financeiramente falando, já que são colaboradores em potencial das campanhas eleitorais. Enquanto isso, a população nativa fica à mercê da sorte, aguardando que pequenas migalhas possam ser destinadas ao melhoramento das ruas onde moram e dos equipamentos essenciais ao seu trabalho.

Diferente tratamento recebem os proprietários de imóveis de grande porte, verdadeiras mansões ocupadas nos finais de semana pelo que utilizam Paraty apenas para seu merecido descanso e curtição. Nesses locais todo o cuidado do município é pouco, haja vista a cobrança dos poderosos, ou dos amigos do poder econômico ou político, o que facilita a troca de favores.

Infelizmente, no Brasil, os locais que têm o turismo como principal matriz econômica costumam padecer desses males e todas as ações – ou grande parte delas – são voltadas ao chamado grande turismo, aquele que contempla os mais bem aquinhoados. Assim como Paraty, no Rio de Janeiro, em Ilhéus, no litoral baiano, não é muito diferente e as ações municipais não privilegiam a grande parcela da população.

É certo que Ilhéus, diferentemente de Paraty, não tem o turismo como atividade principal, mas por culpa exclusiva de uma falta de política que empreenda ações nesse sentido, para aproveitar todo o marketing feito pelo itabunense Jorge Amado em seus romances. O mundo inteiro “viaja” nos locais e personagens amadianos, tornando Ilhéus um dos maiores bens de consumo para os seus futuros passeios.

Bastaria uma pequena ajuda dos poderes públicos para tornar Ilhéus uma cidade agradável, facilitando o conhecimento de sua história, rica na arquitetura, na cacauicultura implantada na Mata Atlântica e nos costumes do seu povo. Mas esse encantamento tem limites pelo ar e pelo mar, até que o turista desembarque e passe a conhecer e conviver na antes sonhada cidade.

Ninguém sonha que na antes cidade dos “coronéis do cacau” a realidade atual seja diferente e tenha que ultrapassar as montanhas de sacos (abertos e fechados) de lixo, que incomodam as vistas e o nariz. Também não concebem que por essas plagas a exploração do turismo seja entendida, ao pé da letra, como a exploração ao turista, com todas as artimanhas, do transporte público aos restaurantes.

Mas, afinal, qual a motivação dos políticos instalados no poder para deixar que isso aconteça? Seria falta de pessoas competentes para gerir o município? Claro que não, pois as empresas privadas vão muito bem obrigado. De início, acreditam piamente que o orçamento municipal é uma simples peça de ficção, com erros propositais na elaboração e na execução.

Não conhecem o município como um todo e não fazem questão para reparar esse falha, apostando no desconhecimento da população sobre os seus direitos e o poder político que poderiam exercer na execução das políticas públicas. Em Ilhéus, por exemplo, que poderia conceber e executar uma proposta de desenvolvimento sustentável onde merece, e proporcionar meios para o incremento do comércio indústria e serviços, nada é feito.

E não é feito por questiunculas – coisinhas menores –, nas quais as propostas firmadas entre prefeito, vice-prefeito e as forças coligadas durante a campanha eleitoral se esfacelam nos primeiros meses de governo. Não falo de suposições, mas de fatos, portanto, reais, com o afastamento do vice-prefeito José Nazal do centro do poder, desprezando todo o conhecimento que tem sobre o município.

Ora, se as proposições dessas forças eram antagônicas não deveriam marchar juntas na campanha, elaborar um projeto de governo apenas de mentirinha para enganar a população nos comícios e programas eleitorais. Com isso, perde o município que não se desenvolve, perde a população que não gera riquezas e perde o cidadão, mais uma vez alijado do processo decisório.

Paraty e Ilhéus são apenas dois pequenos exemplos do Brasil.

Walmir Rosário é radialista, jornalista e advogado.

A alegoria do incidente em Ilhéus

Por Mohammad Jamal.

O Incidente em Ilhéus. O incidente aconteceu na Rua Araujo Pinho. Passeios estreitos, carros sobre as guias dos passeios, vendedoras de capinhas e películas para celulares, tudo apertado, vocês sabem… Foi ali, perdido nos meus pensamentos que o asteroide me atingiu. Senti aquela coisa enorme e pesada esparramar-se esmagadora sobre as minhas costas. Era uma mão, não um mamão – na literatura antiga escrevia-se “u’a mão” – Era u’a massa de carne adiposa, mal coberta com roupas em desconformidade, apertadas; arrastava os pés inchados nuns chinelos enormes e, tinha no que chamamos rosto, oblongo, duas coisas parecidas com grandes almofadas; eram as bochechas tingidas de sangue, orlando um nariz ameaçador atufado de rapé logo acima de uma abertura, que deveria ser a boca, ungida pela filosofia dos borrões em vermelho pastel dos batons baratos e pintores anônimos.

Tremi, confesso; quando o senti o peso daquela mão enorme, uma pata de elefante da mulher paquiderme quase soterrar-me sob seu peso. Voltei-me, ou fui voltado ante a força descomunal empregada pela mulher adipócita cuja circunferência passava de um metro de raio encimada por uma cabeça minúscula para um rosto enorme. Aterrorizado, silencioso, ouvi quieto a sua expressão pantagruélica em forma de crítica. _ “O senhor escreve demais. Seus textos são longos e cansativos”. Eu: a senhora está certíssima. E fugi apavorado pelo medo de ser esmagado como um piolho entre as unhas de Gargântua, personagens de François Rebelais em “Gargântua e Pantagruel”.             

Conformidade humanista. A sensibilidade literária enquanto doutrina e os pressupostos que a constitui assentam na idéia de que o homem, enquanto inatamente virtuoso e benevolente, deseja de modo sincero o bem estar de todos e, consequentemente, é capaz de sentir e compreender não só as suas próprias emoções, mas também aquelas sentidas e experienciadas por outrem. Os ideais patentes nesta doutrina do século XVIII assumem-se como características indispensáveis enquanto definição do caráter do indivíduo, e em sentido mais lato, de ética social, de moralidade pública do humanismo.

Na serra fria e brumosa. Lembro-me que lá em casa tínhamos uma ampulheta muito antiga, uma relíquia que eu admirava extasiado. Ela servia para marcar o tempo das aulas de piano e por quanto tempo eu havia me dedicado aos meus estudos formais. A velha ampulheta teria sido dada de presente por meu avô a meu pai, por isso, ela ocupava lugar de destaque sobre o piano, enquanto o executávamos e depois, sobre a estante, imponente frente aos inúmeros livros, como se uma guardião das memórias que a literatura havia aprisionado.

As areias do tempo. Eu passava tempo admirando a ampulheta, ela capturava minha imaginação de uma forma que nunca vou saber explicar. A abertura pela qual escorria a areia é tão pequena que, à primeira vista, parece que o nível da areia da parte superior nunca se altera. Aos meus olhos de criança, transparece que a areia escoa apenas no final e, até que isso aconteça, não vale à pena pensar e falar a respeito. Ate o ultimo instante, quando não há mais tempo, quando não resta mais tempo para pensar a respeito daquele tempo impregnado de poesias, doces lembranças.      (mais…)

Vaias para Marão no show de Diogo Nogueira

Notinhas.

A popularidade do prefeito de Ilhéus escorrega ladeira abaixo.

Na última sexta-feira, 25, antes do show do sambista Diogo Nogueira na Concha Acústica da Avenida Soares Lopes, o público não poupou o gestor.

O radialista Bebeto Oliveira citou o nome de Mário Alexandre, em sinal de agradecimento, e ouviu vaias quase ensurdecedoras.

Marão não foi ao show, mas já deve ter ouvido os ecos.

 

Vale repete Mariana e rejeitos poderão chegar ao rio São Francisco

Foto: O Eco/reprodução.

 

Reportagem do site especializado em meio ambiente O Eco.

A mineradora Vale adotou em 2017 o lema ‘Mariana nunca mais’, em alusão ao acidente na barragem da mineradora Samarco , ocorrido há 3 anos, e que destruiu a bacia do rio Doce. A Samarco é controlada pelas mineradoras Vale e BHP Billiton. Pois Mariana voltou a acontecer nesta sexta-feira (25), em doses (por enquanto) menores do ponto de vista ambiental e maiores do ponto de vista humano. Se a tragédia ocorrida em novembro de 2015 deixou 19 mortos, na de hoje estão confirmados 7 mortos e mais de 150 pessoas desaparecidas.

No total, três barragens de rejeitos de mineração se romperam no fim da manhã desta sexta-feira (25), mudando a paisagem do município de Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. De acordo com o Corpo de Bombeiros, até o início da noite 189 pessoas foram resgatadas com vida. Parte são funcionários da própria Vale, que estavam almoçando no momento do acidente.

A lama atingiu o rio Paraopeba, ‒ que faz parte do sistema de abastecimento de água da região metropolitana de Belo Horizonte ‒, e segue a caminho do município de Betim e Pará de Minas. As prefeituras pediram para que moradores esvaziem casas próximas das margens do rio. A lama deverá atingir a hidrelétrica de Retiro Baixo, localizada entre os municípios de Curvelo e Pompeu, no domingo. Segundo a Agência Nacional de Águas (ANA), órgão agora ligado ao Ministério do Desenvolvimento Regional, a hidrelétrica deve amortecer a onda de rejeitos.

Se a lama for segurada, Furnas terá uma hidrelétrica a menos, mas isso evitará que a lama chegue ao rio São Francisco. Se transbordar, a tragédia de Brumadinho tem chances de superar Mariana no posto de maior tragédia ambiental da história.

Desculpas

Fabio Schvartsman, presidente da vale, durante coletiva. Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

O presidente da Vale, Fábio Schvartsman, pediu desculpas às vítimas e disse que estava surpreso e transtornado por causa do rompimento. Segundo ele, a barragem estava inativa há três anos e não apresentava riscos. “Há mais de três anos [a barragem] não opera e estava em processo de descomissionamento. Ela sequer vinha recebendo rejeitos da mineração. (…) Quando digo surpreso, é que há laudos das consultorias que atestam a estabilidade da barragem. Daí nossa surpresa”, afirmou, em coletiva. “Como vou dizer que a gente aprendeu [com Mariana] se acaba de acontecer um acidente desses?”, disse.

Neste sábado, o presidente Jair Bolsonaro sobrevoará a região, junto com os ministros de Minas e Energia, Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional, além do  Secretário Nacional de Defesa Civil. O presidente da Vale participará da comitiva.

Ubaitaba: Secretaria de Saúde apura infestação de caramujo africano

Caramujo-africano-gigante (Achatina fulica). Foto: Ascom/Ubaitaba/reprodução.

A Secretaria Municipal de Saúde de Ubaitaba, por meio da Coordenação da Atenção Básica, deu início à catalogação de áreas na zona urbana infestadas pelo caramujo-africano-gigante (Achatina fulica). Molusco nativo do leste e do nordeste da África, ele foi introduzido ilegalmente no país na década de 80.

Focos foram encontrados nos bairros Maria Olímpia, Nova Olímpia e Telebahia, a partir de denúncias de moradores aos agentes comunitários de saúde (ACS) e diretamente na Secretaria da Saúde. De acordo com a coordenadora da Atenção Básica, Lindinalva Oliveira, desde quinta-feira, 24, que os agentes estão confirmando os focos para que se adote estratégia de combate ao caramujo.

Com aproximadamente 20 cm de comprimento e 200 gramas, o Achatina fulica se multiplicou de maneira rápida no Brasil para onde foi trazido com o intuito de substituir o escargot verdadeiro, considerando sua massa, alta capacidade reprodutiva e resistência. Como não teve a aceitação esperada neste mercado, muitos donos de criadouros acabaram liberando-os no meio ambiente.

Os caramujos são hermafroditas e capazes de se autofecundar. Por isso, cada indivíduo pode liberar cerca de 200 ovos por ano, com capacidade para sobreviver aos períodos de seca e de frio e a diversos venenos. A espécie é praga de plantações, como abóbora, acerola, alface, café, banana, hibiscos e jambu e causa diversos prejuízos tanto aos grandes quanto aos pequenos produtores.

O molusco é hospedeiro de um verme, o Angiostrongylus cantonensis, agente etiológico da meningoencefalite eosinofílica, doença que provoca a inflamação das meninges – membranas que recobrem o cérebro – e pode ser confundida com a meningite por ter sintomas bem parecidos.

Fonte: Ascom/Ubaitaba.

Concurso da Prefeitura de Salvador vai oferecer 367 vagas para níveis médio e superior

Quadro de vagas do Concurso da Prefeitura de Salvador.

Se você deseja se tornar servidor efetivo, fique atento para concurso público que será realizado pela Prefeitura de Salvador neste ano. Com 367 vagas, distribuídas em 17 cargos e 12 áreas, os detalhes da seleção foram apresentados pelo prefeito ACM Neto e pelo secretário municipal de Gestão (Semge), Thiago Dantas, nesta sexta-feira (25), no Hub Salvador, no Comércio.

De acordo com o prefeito, havia uma expectativa enorme da gestão para a realização desse concurso. O objetivo é de reforçar ainda mais o trabalho da administração municipal, tornando mais eficiente e produtivo o serviço que a Prefeitura oferece à cidade e ao cidadão.

Distribuição – O concurso público para a Prefeitura de Salvador está dividido em três editais. O primeiro deles é para professor, com 150 vagas imediatas e 1,5 mil de cadastro reserva. O segundo edital é para os cargos de Guarda Civil Municipal, Agente de Trânsito, Agente de Fiscalização e Agente de Salvamento Aquático (salva-vidas). 

Por fim, o terceiro edital é destinado aos seguintes cargos: médico, engenheiro civil, fiscal de serviços municipais, engenheiro eletricista, engenheiro/arquiteto e – pela primeira vez na administração municipal – para as funções de psicólogo, gestor público, médico perito, médico do trabalho, técnico de enfermagem do trabalho e técnico em segurança do trabalho.

As vagas oferecidas são para níveis médio e superior, carga horária entre 20h e 40h semanais e vencimentos iniciais de R$2.147,85 até R$11.484,19 – a depender do cargo pretendido. Os novos postos de trabalho vão representar um investimento de R$23,3 milhões para reforçar as áreas estratégicas e prioritárias do serviço público municipal.

Os profissionais vão atuar nas secretarias municipais de Saúde, Educação, Mobilidade, Desenvolvimento Urbano, Gestão, Infraestrutura, Manutenção, Ordem Pública e Promoção Social e Combate à Pobreza, além da Guarda Civil Municipal (GCM) e das superintendências de Trânsito de Salvador (Transalvador) e de Obras Públicas (Sucop).

De acordo com o secretário Thiago Dantas, o edital será publicado no fim de fevereiro, com inscrições a serem realizadas em março e as provas em abril. Vencedora da licitação, a Fundação Getúlio Vargas (FGV) será a empresa organizadora da seleção. Além das vagas imediatas, também haverá vagas em cadastro reserva, que poderá chegar até 15 vezes o número inicial para cada cargo.

Do total de vagas, 30% serão destinadas para candidatos afrodescendentes e 5% para pessoas com deficiência, conforme previsto em legislação municipal. A validade do concurso é de dois anos, podendo ser prorrogado por mais dois anos. 

Sinebahia Itabuna oferece 21 vagas na próxima segunda-feira

Uma vaga para soldador no Sinebahia Itabuna.

Confira abaixo as oportunidades de emprego do Sinebahia Itabuna. As vagas estarão disponíveis na próxima segunda-feira, 28.

A agência funciona no Shopping Jequitibá. Não esqueça de levar o número do PIS, PASEP ou NIS, Carteira de Trabalho, RG, CPF, comprovante de residência e certificado de escolaridade.

Vagas exclusivas para Itabuna. 

AUXILIAR DE LINHA DE PROCUÇÃO (PCD)

Exclusiva Para Pessoas Com Deficiência

Não necessita escolaridade

Não necessita experiência

5 VAGAS 

SERRALHEIRO

Não exige escolaridade

Experiência mínima de 6 meses na carteira

1 VAGA 

SOLDADOR

Não exige escolaridade

Experiência mínima de 6 meses na carteira

Experiência com TIG e MIG

1 VAGA

(mais…)

Jabes Ribeiro pode se tornar liderança de Bolsonaro em Ilhéus

Notinhas.

PP de Jabes paquera Bolsonaro. Fotos: Google/reprodução.

O movimento político favorável ao presidente da República, Jair Bolsonaro, não tem lideranças consistentes em Ilhéus, cujo histórico prove densidade eleitoral.

O repúdio ao lançamento do livro do ex-ministro José Dirceu (PT), que provocou fúria em militantes bolsonaristas nas redes sociais, indicou baixa capacidade de mobilização da direita.

Como na política (e na busca pelo poder) não existe vácuo, caso o governo Bolsonaro conquiste grande popularidade, um político convencional pode preencher a brecha.

O ex-prefeito de Ilhéus, Jabes Ribeiro, pode no futuro assumir o posto. Nos anos 90, aderiu ao grupo de Antônio Carlos Magalhães, que também tinha inclinações autoritárias e foi um dos incentivadores do golpe militar de 1964. Isaac Albagli,  lugar-tenente de Jabes, já assumiu publicamente a intenção de buscar uma “boquinha” na direção do Porto de Ilhéus, nomeado pelo novo governo. No plano nacional, o PP, partido do ex-prefeito, anunciou apoio à candidatura de Rodrigo Maia à presidência da Câmara dos Deputados. Dias depois recuou, mas pode voltar. Maia é o candidato de Bolsonaro.

Dessa forma, percebe-se que o jabismo iniciou um movimento ainda tímido para entrar na órbita do novo governo. Caso Jabes assuma esse posto, o fato não será surpreendente, pois já faz muito tempo que o traquejado político abriu mão dos compromissos ideológicos.

Se beijou a mão de ACM, pode também se curvar diante do bolsonarismo.