Pawlo Cidade: “Romualdo poderia ter preparado um espetáculo sobre a época de Jabes”

Jabes Ribeiro é um ponto de inflexão entre Pawlo e Romualdo. Composição de imagens BG.

Perguntado sobre o novo espetáculo do Teatro Popular de Ilhéus, baseado nas trapalhadas do governo Marão, o secretário municipal de cultura, Pawlo Cidade, disse que “a arte é livre. Nunca deve haver censura a uma arte. Ela tem a liberdade de expressão garantida”.

Após ressaltar o aspecto libertário, Pawlo Cidade disse ao BG que o dramaturgo Romualdo Lisboa poderia ter preparado um espetáculo sobre o período em que Ilhéus foi governada por Jabes Ribeiro. “Eu dei um livro a ele, O Santo de Mármore”.

A obra mencionada pelo secretário foi escrita pelo próprio. Remete a uma greve de professores do Instituto Municipal de Ensino (IME), em 1987, quando Jabes Ribeiro exerceu seu primeiro mandato como prefeito de Ilhéus.

No movimento, três professores chegaram a fazer greve de fome, após serem perseguidos e exonerados por Jabes.

Pawlo Cidade deu a entender que o seu livro não sensibilizou Romualdo a preparar uma peça inspirada no principal político ilheense dos últimos quarenta anos. Os governos dos ex-prefeitos Valderico Reis, Newton Lima e o atual, de Mário Alexandre, inspiraram o TPI a produzir peças teatrais, os de Jabes até agora, não.

Comentário do blog.

O livro “O Homem que Amava os Cachorros”, do escritor cubano Leonardo Padura, relata um diálogo entre o revolucionário comunista León Trotsky e o poeta André Breton, no México, quando o primeiro, herói da revolução russa de 1917, vivia um triste exilio após ser expulso pelo ditador soviético Josef Stálin.

No diálogo os dois divergem sobre arte e liberdade. Trotsky , criador do exército vermelho, não admite obstáculos para a criação artística. Breton, também comunista, afirma que a revolução proletária pode impor limites.

Por mais que não esteja submetida aos princípios da razão, a arte no mundo capitalista está sujeita aos interesses e às preferências.

Este comentário não pretende deixar um juízo de valor nas entrelinhas. Trata-se apenas de uma reflexão.



2 responses to “Pawlo Cidade: “Romualdo poderia ter preparado um espetáculo sobre a época de Jabes”

  1. Quem sabe um espetáculo com o coronel abreviado JB que gosta de ver seus funcionários passando necessidades sem reajuste e junta se ao seu para fumar um charuto cubano as margens da torre Eiffel esperando por sua esposa que está comprar nas mais finas lojas da cidade, já a sua simples cidade natal que não é digna nem.mesmo de sua residência.

  2. Lascou-se, desculpa a palavra, mas agora Vai ter que entrar no plano de governo do próximo prefeito, uma peça de teatro falando das peripécias feitas pela gestão. Menino se isso pega dá até ter concurso público pra área do Teatro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *