Segundo Magela, operação da PF que fez busca e apreensão na casa dele é “normal”

Magela durante entrevista à TV Santa Cruz. Imagem de vídeo.

Em entrevista à repórter Patrícia Lais da TV Santa Cruz na manhã desta terça-feira (22), o secretário de saúde de Ilhéus, Geraldo Magela, considerou a operação Anóxia um evento “normal”.

Na manhã de hoje a Polícia Federal cumpriu 9 mandados de busca e apreensão na cidade. A casa onde Geraldo Magela reside, em Olivença, e a sede da Secretaria Municipal de Saúde foram “visitados”. A PF investiga o contrato firmado entre a Prefeitura de Ilhéus e a empresa HSC Soluções Empresariais, que possibilitou a contratação emergencial de profissionais de saúde para o enfretamento à Covid-19.

Em frente à delegacia da PF de Ilhéus, o secretário alegou desconhecer as provas, disse que foi realizado um processo licitatório e que o montante de R$ 110 mil aparentemente superfaturado pode ter sido usado no pagamento de diferenças salariais. Magela sustentou que houve prestação do serviço, em oposição ao que afirma a Controladoria Geral da União (CGU).

Na tentativa de desacreditar a denúncia que originou a operação, Magela disse ter acontecido no período eleitoral.

Veja a entrevista do secretário.



One response to “Segundo Magela, operação da PF que fez busca e apreensão na casa dele é “normal”

  1. Na reportagem o secretário acha normal a visita de manhã cedo do Uber da Federal, eu não acho normal, eu que nao quero uma visita dessa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *