Ilhéus: Av. Esperança e Teotônio Vilela estão entre as localidades mais violentas para as mulheres

240 casos de violência contra a mulher já foram registrados em Ilhéus nesse ano.

Dados levantados pela Frente Parlamentar das Mulheres junto à segurança pública revelaram que Avenida Esperança e Teotônio Vilela, em Ilhéus, estão entre as localidades que mais registram casos de violência contra mulheres, na zona norte do município.

Um diagnóstico de atendimento às mulheres foi apresentado na semana passada, em reunião virtual que contou a participação de vereadores, representantes do governo municipal e das polícias civil e militar. Nessa reunião foram apresentados dados relacionados ao assunto.

De acordo com a titular da Delegacia Especializada no atendimento à Mulher (DEAM), Camila França, de janeiro a março de 2021 foram registradas 146 ocorrências por ameaça, 75 por lesão corporal, 1 por assédio sexual, 02 por importunação sexual, 03 por estupro e 13 por estupro de vulnerável no município.

A delegada também trouxe os números levantados em 2020: 02 feminicídios, 257 lesões corporais, 390 ameaças, 12 estupros, 33 estupros de vulneráveis, 0 assédio sexual, 04 importunação sexual.

Apesar da aparente diminuição, até o momento, dos casos registrados de violência contra a mulher em Ilhéus, os representantes do poder público acreditam que isso se deve ao fato da pandemia, que traz transtornos como dificuldade de transporte e até mesmo convívio maior, em alguns casos, com o agressor.

A professora e vereadora Enilda Mendonça (PT), mediadora da última reunião, afirmou que realizará uma visita a cada entidade responsável pelo acolhimento das mulheres violentadas no município. O objetivo é identificar as dificuldades enfrentadas no acolhimento das vítimas e elaborar políticas públicas municipais para melhorar o serviço.



2 responses to “Ilhéus: Av. Esperança e Teotônio Vilela estão entre as localidades mais violentas para as mulheres

  1. A informação serve de alerta às pessoas do sexo feminino. no entanto, faltou citar o bairro N. Srª. da Vitória onde a criminalidade e violência é generelizada. Olho vivo mulheres.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *