Ilhéus: confirmada a primeira morte por covid-19 no presídio Ariston Cardoso

Remi era acusado de tráfico internacional de drogas e aguardava extradição para França.

O francês que estava detido no presídio Ariston Cardoso, e que faleceu na última quinta-feira (17), teve testagem positiva para covid-19. Essa é a primeira morte pela doença registrada na população carcerária de Ilhéus. A informação foi confirmada ao Blog do Gusmão pelo diretor do presídio, o Tenente Coronel da PM, Gustavo Rebouças.

Remi Alfred Cohen, de 51 anos, estava na unidade prisional há 4 meses. Ele era acusado de tráfico internacional de drogas e aguardava extradição para França. Remi foi colocado numa área de isolamento após apresentar sintomas da covid-19. Ele teria sentido uma forte dor no peito, indo a óbito em seguida (relembre aqui).

De acordo com a direção do Ariston Cardoso, os detentos que tiveram algum contato com Remi serão testados para covid-19. Ainda segundo as informações, 7 dos 120 detentos em Ilhéus já se contaminaram com a doença.

Itabuna

No dia 31 de maio, o BG informou sobre a morte por covid-19 de um presidiário em Itabuna. Aníbal Pimentel estava no Conjunto Penal e precisou ser internado no Hospital de Base, depois de apresentar sintomas de contaminação. Ele não resistiu às complicações de saúde e morreu (veja aqui).



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *