BLOG DO GUSMÃO

Menu

Siga-nos

Pedreiro assassinado na Conquista estava afastado do tráfico de drogas há 10 anos, afirmam testemunhas

Mesmo afastado do crime, Gil pagou com a própria vida. Foto encontrada no Facebook.

O tráfico de drogas costuma ser impiedoso e desumano com as pessoas que dele fazem parte. Quebrar os vínculos com os grupos que vendem entorpecentes é muito difícil para os ex-integrantes. As facções rivais não costumam esquecer os inimigos, mesmo quando eles buscam uma nova trajetória distante da criminalidade.

A Polícia Civil já ouviu duas testemunhas sobre o assassinato do pedreiro Gildemar Santos (40 anos) morto com dois tiros na última quinta-feira (1) quando transitava na Praça Santa Rita, na Conquista, em Ilhéus.

As testemunhas disseram ao delegado Helder Carvalhal, do núcleo de homicídios da 7ª Coorpin, que Gildemar estava afastado do tráfico de drogas há 10 anos.

Pai de três filhos e recém-separado da esposa, Gil tocava a vida como pedreiro. Momentos antes de sofrer o atentado fatal,  havia acabado de deixar a obra que executava na Rua das Flores, no mesmo bairro onde o crime aconteceu.

De acordo com delegado Helder Carvalhal, a investigação trabalha com a hipótese de que a motivação para o assassinato veio de uma rixa antiga, originada quando Gil tinha envolvimento com o tráfico.

A polícia tem encontrado dificuldade para ouvir mais pessoas, pois diante de crimes como esse, testemunhas oculares ou as que muito sabem apresentam medo de sentir na pele as represálias violentas dos criminosos.

WhatsApp
Facebook
Twitter
Email
Print

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Newsletter

Fique Informado

Assine a newsletter e receba as notícias que você não pode perder diretamente no seu e-mail.
É rápido. É fácil. É de graça.

Siga-nos
Mais lidas