Animal grande e morto boia no Rio Almada; não há risco de contaminação para os lares itabunenses, afirma Nazal

Foto enviada ao BG pelo missionário Souza, da Igreja Batista.

Um animal morto e de grande porte, provavelmente um equino, boia nas águas do Rio Almada e foi visto de Vila de Juerana (norte de Ilhéus).

O forte mau cheiro tem incomodado. Quando a maré está seca, a carcaça retorna à Sambaituba, quando enche, volta à Vila Juerana indo até as proximidades do bairro São Domingos, afirmam moradores ouvidos pelo BG.

O corpo está em avançado estado de decomposição e preocupa comunidades ribeirinhas que moram à margem e dependem do rio para lavar roupas e pescar. De acordo com o missionário Souza, da Igreja Batista, há pessoas acostumadas a beber água do Almada mesmo sem tratamento.

Em Castelo Novo e em Rio do Braço, localidades que pertencem a Ilhéus, a água do rio é captada e levada a Itabuna para tratamento. Posteriormente, é distribuída pela EMASA.

Segundo José Nazal, que conhece bastante a geografia grapiúna, não há risco de contamnação da água captada para os lares itabunenses.

O animal foi visto a 20 Km do primeiro ponto de captação e a 27 Km do segundo, ou seja, bem distante. “Além do Almada estar com o nível muito baixo, pedras que ficam no meio do rio em Castelo Novo impedem a passagem até os dois locais”.

Parte do leito e pontos de captação de água do Rio Almada. Imagem enviada por José Nazal.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *