Cobras vistas na Princesa Isabel não possuem veneno e são inofensivas, afirma biólogo da UESC

Flagrante de cobra na Princesa Isabel. (imagem: reprodução\Facebook)

Após diversos relatos de avistamento de cobras feitos por moradores da Avenida Princesa Isabel, em Ilhéus, o Corpo de Bombeiros foi até o local apontado para averiguar a situação. As buscas pelos animais iniciaram por volta das 8h30 dessa terça-feira (20) e seguiram até o meio dia, no entanto, nenhuma cobra foi encontrada pelos militares, que chegaram a utilizar técnicas de rapel em região de mata.

Em contato com o BG, o biólogo Antônio Jorge Argôlo, professor da UESC com mestrado e doutorado com foco no estudo de serpentes, afirmou que esteve na localidade ouvindo moradores, e que as cobras fotografadas são da espécie jibóia. O biólogo afirma que esses animais não são venenosos, possuindo comportamento “solitário”, e que expressam apenas alguma reação de defesa caso sejam incomodados em seu habitat.

Professor e biólogo, Antônio Jorge Argôlo.

Antônio Jorge explicou ainda que as cobras vistas por moradores poderiam estar em período de acasalamento ou regulando a temperatura com o calor do sol. Ele também acredita que as fontes de alimentação desses animais, como pequenos roedores, ainda predominam na mata.

Preocupado, o biólogo revelou que ouviu informações sobre pessoas que estavam dispostas a caçarem os animais para “fazer moqueca”. “Na verdade, quem está em perigo não são as pessoas, e sim as cobras”, disse.



One response to “Cobras vistas na Princesa Isabel não possuem veneno e são inofensivas, afirma biólogo da UESC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *