Exclusivo. PF investiga contrato do governo Marão com hotel de Mamoan; casa de Magela recebeu mais uma “visita” dos agentes

Marão e o hotel que serviu de abrigo.

Governo Marão está enrolado em mais um contrato suspeito que usou dinheiro do combate à Covid-19.

Por meio da operação Nefanda, a Policia Federal investiga o suposto envolvimento do secretário de saúde de Ilhéus, Geraldo Magela, e de alguns servidores da secretaria, na contratação milionária e com possível superfaturamento de uma empresa para administrar o Hotel Village Enseada do Mamoan, na região norte do município. O equipamento turístico serviu como abrigo de pessoas infectadas pelo novo coronavírus durante quarentenas.

A empresa investigada é gerida por um homem apelidado com Joca (Joaracy), ligado ao Haras Ilha Bela, que firmou contrato no valor de um milhão e seiscentos mil reais com a Prefeitura de Ilhéus.

O prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre, e o secretário de saúde, Geraldo Magela.

Segundo informações exclusivas obtidas pelo BG, a prefeitura promoveu uma dispensa de licitação considerada controversa com empresas do ramo hoteleiro local, cujo objeto foi a administração do hotel, que teve a posse compulsoriamente tomada pelo município.

O contrato não foi totalmente cumprido, mas o governo Mário Alexandre pagou R$ 1.1 milhão pela administração do hotel e também fez um pagamento no valor de R$ 100 mil, como indenização,  à empresa proprietária do prédio (Travassos Empreendimentos Turístico Ltda). Os valores foram depositados de julho de 2020 a fevereiro de 2021.

Na manhã desta quarta-feira (11), agentes da Polícia Federal fizeram busca e apreensão em endereços ligados ao secretário Geraldo Magela. Ao todo são nove mandados expedidos pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região que foram cumpridos pela PF.

Em novembro de 2020, a PF “visitou” a residência de Magela em Olivença como parte da Operação Anóxia, que investigou o contrato suspeito de gestão do Centro de Covid-19, que fica no Centro de Convenções de Ilhéus. Após o evento, o secretário disse que a presença dos agentes na casa dele é “normal”.

Publicidade da PMI sobre o abrigo suspeito.


One response to “Exclusivo. PF investiga contrato do governo Marão com hotel de Mamoan; casa de Magela recebeu mais uma “visita” dos agentes

  1. É álcool superfaturado, é contrato indevido, é nomeação que aumenta em mais de 500% o salário, é aluguéis desnecessários, é falência de empresa de lixo da cidade e colocação de outra com valores maiores. É muita Mentira. Mas foi tanto gato com propaganda de obras alheias que o povo se iludiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *