Faculdade Madre Thaís participa do projeto Espelho Meu

Foto: ASCOM-Madre Thaís.

A Faculdade Madre Thaís (FMT), através do curso de graduação em bacharelado em Fisioterapia, participa do projeto Espelho Meu. O projeto foi instituído pelo município de Ilhéus no dia 27 de setembro.  De acordo com a coordenadora do curso de Fisioterapia da FMT,  profª Drª Karla Rocha Carvalho Gresik “o nome faz alusão à importância do incentivo ao ato simples de se auto-observar, como medida que pode contribuir para diagnóstico precoce da Hanseníase, além de sinalizar para a necessidade de manutenção da vigilância constante por parte de toda a sociedade”.

Ela relata que o projeto “é idealizado pelo Programa de Tuberculose e Hanseníase do município de Ilhéus, em parceria com a Rede Universitária de Combate a Hanseníase (Rede Hans Bahia) e o Núcleo Morhan Regional de Ilhéus (Movimento de Reintegração das Pessoas Atingidas pela Hanseníase em fase de implantação) em fase de implantação. Tem como objetivo dar visibilidade à problemática de uma doença que ainda se apresenta como grande problema de saúde pública no Brasil, que é o segundo país no mundo em número absoluto de casos”.

“A hanseníase compõe o quadro de doenças negligenciadas no nosso país e não por acaso, a falta de informação, de priorização na formação profissional e também o preconceito ainda existente, constituem fatores que contribuem com os diagnósticos tardios dessa doença cruel que é altamente incapacitante”, descreve a professora.

Acrescenta que “através da integração serviço-ensino-comunidade, o projeto visa disseminar informações sobre a hanseníase, capacitar os profissionais de saúde, contribuir com a formação dos estudantes dos cursos de saúde das Instituições de Ensino Superior da região, aqui representadas pela Faculdade Madre Thaís, Universidade Estadual de Santa Cruz, e Faculdade de Ilhéus, contemplando ainda a busca ativa de casos nas comunidades, com o objetivo maior de diagnosticar e tratar precocemente os casos de hanseníase, evitando a instalação das temidas incapacidades físicas provocadas pela doença”.

A iniciativa do “Projeto Espelho Meu” surgiu no contexto do lançamento da Campanha Global “Não esqueça da Hanseníase”, conduzida no Brasil pelo MORHAN, que chama a atenção de governos, organizações e da população para manter ações de controle à doença durante a pandemia de Covid-19.

As ações começaram no bairro Teotônio Vilela, contando com as presenças da vice-diretora da Rede Hans Bahia, Enfermeira Eliana Mello, da coordenadora do Programa Municipal de Combate à Hanseníase, Enfermeira Jane Francisca Benjamin, da docente MS Lacita Skalinski e discentes da Uesc, dos profissionais do serviço de referência em Hanseníase, Enfermeira Lorena Spínola e Dr. Edmundo Patury, além das equipes da ESF, incluindo os Agentes Comunitários de Saúde.

Foi realizada uma mobilização na comunidade para de informar e detectar os casos de hanseníase, com a presença da diretora da rede Hans Bahia, Gracielle Santos, a coordenadora Municipal do Programa de Tuberculose e Hanseníase do município de Ilhéus, Jane Francisca Benjamin, os agentes comunitários da ESF III e IV do Teotônio Vilela e os discentes do curso de Fisioterapia da Faculdade Madre Thaís.

O projeto “Espelho meu” vai se estender até o mês de dezembro de 2021 em outros bairros do município, mas, terá continuidade durante o ano de 2022.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *