Requerimento para investigar acordo do Governo Marão com empresas de ônibus é protocolado por vereadores

Enilda Mendonça, Baiano do Amendoim, Vinícius Alcântara, Augustão, Abraão e Dr. Tandick na entrega do requerimento.

Na tarde dessa última sexta-feira (22), um grupo de vereadores protocolou, na Câmara de Vereadores de Ilhéus, um requerimento para instaurar uma Comissão Especial de Inquérito (CEI), com o objetivo de investigar o acordo da Prefeitura Municipal de Ilhéus com as empresas de ônibus São Miguel e Viametro.

Um dos pontos polêmicos do acordo é o pagamento de um total de R$ 15 milhões para as empresas concessionárias do transporte coletivo no município.

Os vereadores que assinaram o requerimento foram: Augustão, Enilda Mendonça, Baiano do Amendoin, Dr. Tandick, Vinícius Alcântara, Abrãao e Edvaldo Gomes.



2 responses to “Requerimento para investigar acordo do Governo Marão com empresas de ônibus é protocolado por vereadores

  1. E por que não uma CEI (Comissão Especial de Inquérito), para investigar os contratos com as Empresas de Recolha de Lixos na Cidade de Ilhéus (a anterior e a atual), a fim de se saber mais em pormenor, o que na realidade aconteceu?

  2. Boa tarde, a sociedade espera que a Câmara de Vereadores, que no regime democrático de Direito, são eleitos como representantes do povo, cumpra suas funções constitucionais, como fiscais dos atos do poder Executivo, instaure essa Comissão Processante, achem os culpados, pois o dinheiro do povo não pode ser usado em benefícios da Empresa Viametro e são Miguel. Nós não somos responsáveis pelos prejuízos da pandemia, nessa situação todo o mundo tomou prejuízos. Imagine se as empresas aéreas que são responsáveis pela modalidade de transporte aéreo, decidem ir ao judiciário contra o poder Público, apresentam uma planilha superficial, dizendo que tiveram bilhões de prejuízo, e a administração pública decide pegar bilhões do povo pra indenizar tais empresas. Esse acordo deveria ser rechaçado pelo Ministério Público, órgão que tem a função constucional de fiscal da Lei, como tal deveria impugnar as planilhas das empresas em favor do erário público, estranhamente o Ministério Público deu aval a esse acordo ilegal, pois, tal acordo pra pagar 15 milhões às duas empresas, não fora chancelado pelo Poder Legislativo Municipal, câmara de Vereadores. Estamos diante de crime de responsabilidade por parte do Prefeito Mario Alexandre, e por ato de improbidade, deverá ser responsabilizado e punido com rigor. Pois, os agentes públicos devem se submeterem aos princípios que regem a administração pública conforme estabelece o artigo 37, da Constituição Federal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *