Buracos no píer de Camamu colocam turistas que vão a Barra Grande em risco; profissional de saúde quase quebrou a perna

O píer movimentado com buracos no piso de madeira. Fotos enviadas por leitora do BG.

Após trabalhar bastante na pandemia do novo coronavírus, uma profissional de saúde que atua no Eixo Ilhéus-Itabuna programou alguns dias para descanso na Península de Maraú.

No último sábado (13), dias antes do feriado da Proclamação da República, a profissional por muito pouco não quebrou a perna no píer de Camamu. O local é ponto quase obrigatório às pessoas com destino à Barra Grande. Nele é iniciada a travessia de lancha (ou de barco) que leva até a “Barra”, uma das praias mais famosas do sul da Bahia.

Infelizmente, o píer de Camamu, administrado pela prefeitura, está em péssimas condições. O piso de madeira possui buracos e por conta da falta de manutenção algumas pessoas têm se machucado. O risco para os idosos é ainda maior.

A profissional que se machucou no último sábado pediu para não ser identificada, mas nos enviou fotos. As imagens mostram a lesão no tornozelo dela e buracos na estrutura de madeira.

Indignada, ela reclama: “É um absurdo que o píer de Camamu esteja nessas condições. Passa tanta gente nesse lugar. Imagine quantas pessoas correm o mesmo risco. Os turistas não podem ser tratados dessa forma. Eu vim aqui para descansar e por pouco não saí com uma lesão grave. Agradeço a Deus por não ter quebrado a perna”.

Lesão no tornozelo e buraco no piso. Fotos enviadas por leitora do BG.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *