Rotary Internacional premia o curso de Medicina da Uesc como o melhor trabalho da América Latina

O curso de Medicina da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) está entre os vencedores dos Prêmios de Projetos Especiais do Rotaract 2020-21.

O anúncio foi feito durante a pré-convenção virtual do Rotaract em junho e entregue na sessão solene em comemoração aos 80 anos do Rotary Clube de Itabuna, no dia 10 de dezembro, com a presença do governador do Distrito 431 do Rotary Club Internacional, Jotta Alves.

O professor Marcelo Araújo, coordenador do Colegiado do curso, representou a Uesc, juntamente com o discente e membro do Rotary Itabuna, Paulo Uendel da Silva Jesus.

O Rotaract Clubs, em 63 países indicou um recorde de 675 projetos de serviço, avaliados por uma Comissão Rotaract em critérios como sustentabilidade, avaliação da comunidade, promoção, impacto nas áreas de enfoque do Rotary, envolvimento de múltiplos Rotaract Clubs e colaboração com Rotarianos e especialistas locais.

O Projeto

O Projeto “Saneamento Básico: Desafios e perspectivas da promoção e prevenção em saúde no Banco da Vitória” foi considerado pelo Rotary Internacional como o melhor trabalho da América Latina.

Este projeto foi elaborado no âmbito do Módulo Práticas de Integração Ensino-Serviço-Comunidade-Piesc/Medicina-Uesc, do bairro do Banco da Vitória, em Ilhéus, e desenvolvido pelos discentes: Amanda Soares Silva, Bruna Aparecida Reis Brito,Isabela Carvalho Malcun Cury, Josimar de Souza Assis, Lucas Miranda Trevizan, Paulo Uendel da Silva Jesus, Rodolfo Diniz Pereira, Úrsula de Sá Lopes Gonçalves, Victória Rodrigues da Paixão e Yara Nobre Araújo tendo como instrutora a professora Profa. Maria Bittencourt e contando com a colaboração da equipe de saúde da Unidade Básica de Saúde-UBS Banco da Vitória, onde os alunos estão inseridos no Piesc.

Os módulos PIESC se constituem um dos três pilares do curso de medicina da Uesc, proporciona a inserção do discente no âmbito das ações e serviços de Atenção Básica á Saúde, com a atuação em uma determinada comunidade durante um período de quatro anos, visando impactar positivamente, durante esse tempo, a realidade de saúde da população, desenvolvendo ações de promoção da saúde, prevenção de agravos e assistência a saúde, de forma integrada com as equipes de saúde locais.

Assim, no início de 2018, o grupo composto por discentes de medicina, da turma XVI, da Uesc, que realizavam as atividades do Piesc na UBS-Banco da Vitória, e sua orientadora professora/Dra. Maria Bittencourt, optaram por estudar e compreender melhor sobre a qualidade da água oriunda de fontes naturais locais -“bicas”- utilizadas para o consumo humano por grande parte da população do bairro de forma a reconhecer sobre os possíveis impactos dessa vertente do saneamento básico na saúde da população, e contribuir na melhoria das condições de saúde, uma vez que era grande a incidência de parasitoses intestinais, principalmente nas crianças.

Investigação

Essa percepção motivou a investigação, com o apoio da Empresa Municipal de Água e Saneamento (Emasa) da cidade de Itabuna, sobre a qualidade da água de algumas fontes hídricas naturais do bairro Banco da Vitória, no município de Ilhéus, para conhecer as características microbiológicas, físicas e químicas de amostras de água oriundas de 10 fontes naturais do bairro Banco da Vitória (Cisterna do Branco; Fonte Dona Júlia; Bica da Água Boa; Bica da Margarida; Fonte da Prefeitura; Bica da Cerâmica; Bica do Juarez; Bica do Renilson; Alto Santa Clara I e Alto Santa Clara II).

Além da análise da qualidade da água, para a efetivação da pesquisa, foram aplicadas entrevistas em 15 residências localizadas nas proximidades de cada uma das 10 fontes analisadas, buscando conhecer as formas de utilização/armazenamento da água nos domicílios Os Agentes Comunitários de Saúde- ACS da Unidade Básica de Saúde do bairro acompanharam e auxiliaram os discentes na coleta das amostras de água e nas entrevistas domiciliares.

Das amostras coletadas, metade atenderam todos os padrões físico-químicos estipulados para o consumo de água potável, enquanto 100% das amostras foram consideradas fora dos padrões microbiológicos para consumo humano.

De posse dos resultados, o grupo buscou conscientizar a população local a respeito da situação evidenciada na análise das amostras de água. Foram realizadas reuniões com os moradores que residem próximos às fontes, enfatizando o grau de contaminação microbiológica de todas as fontes analisadas e apresentando as alternativas existentes para o tratamento da água, passíveis de serem adotadas pela população.

Parceria

Em 2019, através do discente Paulo Uendel que faz parte do Rotary Club Itabuna, o projeto foi apresentado ao clube buscando encontrar parcerias para aquisição de filtros de água para a população. O projeto foi aprovado pelo Rotary, mas, devido a pandemia, os 100 filtros de cerâmica adquiridos só puderam ser entregues em junho deste ano As famílias que receberam os filtros foram previamente cadastradas pelos ACS, priorizando famílias com crianças menores de 5 anos e domicílios que não dispõem de água encanada.

A entrega dos filtros foi realizada na Escola Herval Soledade, no bairro, com o apoio dos ACS e na ocasião uma atividade educativa abordando a importância do tratamento da água e o uso dos filtros, foi desenvolvida com a colaboração dos alunos do Piesc 2021.

Um evento com a participação de moradores locais, profissionais de saúde e representantes da Emasa, Embasa e Secretaria Municipal de Saúde de Ilhéus/Vigilância em Saúde e Atenção Básica foi realizado na Associação de Moradores do Banco da Vitoria, acerca dos resultados obtidos com a análise da água de fontes hídricas locais e discussão conjunta para conscientização sobre o problema e planejamento de futuras intervenções.

A partir deste evento, reuniões com representantes do poder público de Ilhéus foram realizadas e efetivou-se o cadastramento das fontes no Programa Nacional de Vigilância da Qualidade da Água para Consumo Humano (Vigiagua) do Ministério da Saúde.

O Projeto resultou em pontos importantes como: A aproximação da formação médica com a realidade social e sanitária da população; a aproximação da universidade com a sociedade local; o trabalho em equipe e a participação comunitária; a articulação intersetorial; a efetivação da integração ensino-serviço-comunidade, com o envolvimento da equipe e da população no projeto; a efetivação de melhorias na qualidade da água de consumo para a população local, tanto pela distribuição dos filtros como pelo monitoramento da fontes pelo programa Vigiagua.

PBL

O Curso de Medicina da UESC utiliza a metodologia PBL-Problem Based Learning (Aprendizagem Baseada em Problemas), através da qual os professores estimulam o aluno a aprender por si próprio, fornecendo-lhes os meios e ambientes facilitadores. A transferência do centro das ações de ensino para o aluno é um marco da pedagogia atual e um dos pressupostos da metodologia.

O PBL trabalha com o objetivo de resolver um problema e, nesse sentido, é um processo muito parecido com a metodologia de pesquisa científica. A partir de um problema os alunos buscam compreendê-lo, fundamentá-lo e analisá-lo. São elaboradas hipóteses de solução, que devem ser comprovadas e validadas, estimulando o raciocínio, a aquisição de conhecimentos, as habilidades clínicas e atitudes.

Através do PIESC (Práticas de Integração Ensino-Serviço-Comunidade) o aluno experimenta na prática uma nova maneira de ensinar e aprender a partir da compreensão da realidade social e sanitária da população, com o trabalho em equipe multiprofissional e interdisciplinar, visando a formação de um profissional de saúde, capaz de contribuir para transformação e construção de um modelo de atenção à saúde voltado às necessidades e demandas de saúde da população, pautado pela na integralidade do cuidado, compromisso ético, social e humanitário.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *