GERALDO SIMÕES PROPÕE ANISTIA AOS PRODUTORES DE CACAU. LULA DIZ QUE NÃO

Geraldo Simões.

O deputado federal Geraldo Simões (PT), pelo andar da carruagem, pretende peitar o governo federal quando insiste na idéia de anistiar os pequenos produtores de cacau, das dívidas contraídas junto aos bancos do Brasil e do Nordeste.

O estranho é que o presidente Lula já se posicionou contrário à idéia do seu companheiro petista. Não custa nada lembrar que estamos em período pré-eleitoral, época em que os candidatos ficam mais sensíveis e solidários.

No dia 26 de março, durante entrevista ao radialista Gil Gomes, da rádio Santa Cruz de Ilhéus, Lula externou o seu posicionamento.

Ouça agora.

LULA, ENTRE APLAUSOS E APUPOS

Por Marcos Pennha.

Conforme já fora alardeado, exaustivamente, nos diversos meios de comunicação, o presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva (PT) visitou o sul da Bahia. Ele esteve acompanhado de comitiva que incluía a ministra da Casa Civil, Dilma Roussef, o governador Jaques Wagner (PT) e secretários, o ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima (PMDB), dentre outras autoridades.

Em Itabuna, aconteceu a inauguração do gasoduto do Nordeste, o Gasene. O evento, ocorrido pela manhã no parque de exposições Antonio Setenta, na rodovia para Ibicaraí, contou com a participação de funcionários da Petrobrás e populares.

Em Ilhéus, com a presença do presidente da CAIXA, Jorge Hereda, foi assinado o projeto habitacional do governo federal “Minha Casa, Minha Vida”. Na oportunidade, também, o lançamento da publicação do edital da ferrovia Oeste Leste.

(mais…)

O “PUXÃO DE ORELHA” DE LULA

“Compaêiro Galego, compaêiro Buneca, não pudemo achá que o povo de Ilhéus é bobo”.

Newton Lima, prefeito de Ilhéus, na tarde desta sexta-feira (26), solicitou a construção de uma nova ponte ligando o centro à zona sul da cidade que governa.

Jaques Wagner, governador da Bahia, prometeu atualizar o projeto feito em 2001 e realizar o “sonho dos ilheenses”.

Luíz Inácio, presidente da república, bronqueou. Disse que é necessário ter cuidado com a justiça eleitoral (promessas de campanha), e afirmou que não existe projeto, contradizendo Wagner, e dando uma alfinetada em Newton, que reivindica o novo elo, sem ter sequer uma idéia no papel.