Com R$ 4,7 milhões em investimentos, Embrapa e Ceplac fecham parceria para fortalecer cacauicultura

Parceria visa a futura criação de uma rede de pesquisa e inovação composta por produtores, cooperativas, fundações, associações, universidades e outras organizações.

Na última quarta-feira (5), a Unidade Mista de Pesquisa e Inovação em Cacauicultura (UMIPI-CACAU) foi oficialmente anunciada pela ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina. Com sede em Ilhéus, o projeto é resultado de cooperação entre a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária e a Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac).

O presidente da Embrapa, Celso Luiz Moretti, mencionou que desde 2012 a empresa trabalha com unidades mistas de pesquisa – conceito originalmente francês – e demostrou satisfação diante da colaboração entre as entidades.

“É uma grande satisfação estar de mãos dadas com a Ceplac nesse momento. Eu não tenho dúvidas de que essa é uma maneira inovadora, criativa e moderna de avanço em temas para pesquisa, desenvolvimento e inovação na agricultura brasileira”, afirmou.

Moretti, que revelou no evento de lançamento que quando era estudante imaginou um dia trabalhar na Ceplac, declarou que a aliança entre as empresas será uma grande oportunidade para compartilhar recursos humanos, infraestrutura e conhecimento, visando a contribuição para o desenvolvimento competitivo e sustentável da cacauicultura brasileira.

“A tendência, ao usar investimentos, é construir prédios e laboratórios e comprar novos equipamentos, quando, na verdade, podemos unir forças e favorecer o agro brasileiro. É isso que vamos fazer. Contem com a Embrapa”, disse.

Waldeck Araujo Jr., diretor-geral da Ceplac, detalhou como funcionará a parceria, que inicialmente será entre as duas instituições, mas que visa, segundo ele, a futura criação de uma rede de pesquisa e inovação composta por produtores, cooperativas, fundações, associações, universidades e outras organizações.

“De um lado temos a Ceplac, com todo conhecimento e prospecção desenvolvidos ao longo de 64 anos, e do outro lado, a Embrapa, com 48 anos de dedicação ao agro brasileiro, com os mais de 2.200 pesquisadores e laboratórios em nível de excelência em tecnologia. Isso resultará no compartilhamento de recursos, governança e pesquisa, com foco na produtividade, sustentabilidade e qualidade”, esclareceu.

Para a ministra Tereza Cristina, o lançamento da Unidade é motivo de comemoração. “Finalmente chegou o dia que esperávamos há muito tempo! Hoje é um dia muito significativo para o fortalecimento da cadeia de cacau no Brasil, que é importante para todos nós, por ser uma cultura que oferece múltiplos benefícios, desde a geração de emprego e renda à preservação da floresta, por meio da fixação de carbono”, contou.

A ministra Tereza Cristina garantiu um investimento inicial de R$ 4,7 milhões para a entidade, que fortalecerá o desenvolvimento genético e controle de doenças, e prometeu buscar mais R$ 15 milhões em parcerias com a iniciativa privada nos próximos dois anos.

A cultura do cacau é caracterizada pela predominância da agricultura familiar e possui mais de 70 mil produtores em todo Brasil. O país é o 7º maior produtor e o 5º maior consumidor do produto no mundo, mas a produção nacional necessita de investimentos.

“Nossa produção de cacau é insuficiente diante da demanda. Por meio da parceria entre a Embrapa e a Ceplac, esforços serão direcionados para promover pesquisa e desenvolvimento sustentável à essa atividade agrícola no país. Nossa meta é buscar a autossuficiência até 2025”, anunciou Tereza Cristina. Para atingir essa meta, a ideia é trabalhar com todos os elos da cadeia produtiva para aumentar a produção. “Com todo o conhecimento disponível na Embrapa, vamos viabilizar a modernização da Ceplac e, assim, produziremos um cacau cada vez melhor, adaptado às características naturais e climáticas do Brasil”, destacou a ministra.

O evento foi transmitido pelo canal oficial do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento no Youtube, e contou com a presença da ministra Tereza Cristina; do presidente da Embrapa, Celso Luiz Moretti; do diretor-geral da Ceplac, Waldeck Araujo Jr; e outros representantes das instituições envolvidas.

*Informações Secom/Gov.br



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *