Acampamento Batista Teosópolis fecha acesso à praia em Vila Juerana e gera polêmica

Imagem aérea do Acampamento Batista Teosópolis. Foto: José Nazal.

O Acampamento Batista Teosópolis, fundado por membros da Igreja Batista Teosópolis, de Itabuna, fechou uma rua que dá acesso à praia, em Vila Juerana, litoral norte de Ilhéus. A atitude gerou insatisfação em muitos moradores da localidade.

A administração do acampamento utilizou postes para bloquear o caminho, identificado como Rua Paulo de Tarso, que há muitos anos é utilizado pela comunidade.

O missionário Antonio Carlos tem casa em Vila Juerana há 12 anos. Ele congrega em outra igreja (Batista Memorial de Ilhéus) e, apesar de também ser evangélico, reclama do bloqueio feito pelos “irmãos”.

Ele conta que primeiro o acampamento tentou bloquear a rua com um muro frágil que foi derrubado pela comunidade. “Agora, ‘os irmãos’ bloquearam com uma muralha braba e terrível”.

“Como eles fecharam a rua, agora somos obrigados a caminhar mais de 150 metros, por dentro do mato, no lugar onde aparecem cobras grandes, para chegar na praia”, lamenta Antonio Carlos.

A rua bloqueada e o “muro de Jericó”. Foto enviada pelo Whatsaap;

O outro lado.

O BG ligou para a Igreja Batista Teosópolis e conversou com Ana Paula, administradora que não quis informar o sobrenome.

Ela explicou que o problema envolve outro condomínio, formado ao lado do acampamento, sob a responsabilidade de Pedro Henrique. Os vizinhos querem utilizar a área que pertence aos batistas para acessar suas propriedades, e isso, segundo Ana Paula, não é correto. “A área é do nosso condomínio. Eles é que estão invadindo o nosso”.

Por meio de outra pessoa ligada à igreja, o BG foi informado que um represetante do acampamento registrou queixa na 7º COORPIN para comunicar a realização do bloqueio.

Passagem forçada.

O BG buscou opinião de um especialista, que prefere não ser identificado.

A maioria das ocupações do litoral norte de Ilhéus não possui regularidade junto ao município. O Acampamento Batista Teosópolis está na mesma situação e não foi aprovado como loteamento regular.

“A terra foi comprada e o Batista Teosópolis, assim como outros loteamentos que estão naquele trecho, parcelou a área sem fazer a regularização. Há uma lei municipal [nº 3.745 de 09 de outubro de 2015] que normatiza loteamentos urbanos fechados e condomínios horizontais fechados e eles [os batistas], assim como outros, não estão adequados. Infelizmente, o município não fiscaliza e cada um age como quer”.

Sobre o bloqueio no caminho de acesso à praia, de acordo com o especialista, se a comunidade provar que a passagem era utilizada há muitos anos, o muro poderá ser derrubado. Para isso, os moradores deverão encaminhar uma representação ao Ministério Público da Bahia, ou, por conta própria, constituir advogado e entrar com uma ação para garantir a “passagem forçada”, como prevê o Código Civil Brasileiro no artigo 1.285.

O vídeo abaixo foi gravado pelo missionário Antonio Carlos.

A propriedade dele não faz parte do condomínio vizinho ao Acampamento Batista.



5 responses to “Acampamento Batista Teosópolis fecha acesso à praia em Vila Juerana e gera polêmica

  1. E são evangélicos Isolacionistas! Se fossem muçulmanos chiitas já teriam convocado o exército, a marinha, aeronáutica e policia para reabrir a passagem pública pela rua lacrada. Allahuakbar. Se esses ocupantes estiverem sob o manto protetor do prefeito, em camapnha política. Nem as forças armadas reabrem essa passagem.

  2. Na vdd eles querem usar só a entrada do acampamento que existe há vários anos , o portãozinho feito muro e tudo, eles tem que ajeitar a entrada deles lá do outro lado não querer usar o de cá.

  3. Na verdade o muro feito de poste não foi feito na intenção de isolar a passagem para a comunidade de Juerana e sim moradores de um condomínio ao lado, a qual foi loteado e já tem casas construídas, mas o Sr. que vende os lotes primeiro teria que criar seu proprio acesso e depois lotear, como pode o acampamento batista sendo uma propriedade privada, ser impedida de fazer seu muro? E outra se é ilegal vender os terrenos a culpa não deve recair somente em quem comprou e sim em quem está vendendo… Isso tem anos, ele se acha o dono!

  4. Essa história é a mesma no Loteamento Vivendas do Atlântico. Aqui diz que é condomínio, nunca foi nunca será. Essa lei municipal é boa, mas tem erros básicos. Como apontou a redação, Ilhéus não tem fiscalização. Uma cidade que não recolhe o lixo, vamos esperar o que?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *